Seguir

Bissexuais da minha timeline e do fediverso que talvez encontrem esse toot: como foi o processo/jornada de se descobrirem bi? Vcs sentiam que precisavam ser validados? Preencher algum tipo de checklist? Algum gatilho que mexeu com vocês? Vcs tinham um relacionamento hetero e sentiam que precisavam "assumir" pra outra pessoa mesmo que isso não mudasse nada?

É uma pesquisa informam que talvez renda um projeto no futuro então quem de sentir à vontade de contar por aqui ou por dm, just do it :)

@vectress Eu assumi pra minha companheira porque eu confio, mas é um lance que eu não assumi pra todo mundo. Mesmo assim não sinto a necessidade de validação ou de "me encaixar", na real até meio que o contrário.

bifobia 

@vectress Eu tive experiências com amigos durante a adolescência, mas também me atraía por minas desde sempre, daí no meu primeiro relacionamento eu me abri pra minha ex e ela super acolheu mal (papo de "não posso sair com um cara que sai com outros caras"), a gente acabou terminando

Daí fiquei meio encucado com a parada, mas contei pra minha ex-esposa, ela tava se descobrindo bi também, e a gente foi descobrindo junto (e abrindo o relacionamento pra isso, no início)

@vectress depois foi de boa, eu de vez em quando tenho que me lembrar que num preciso mostrar a carteirinha, mas fora isso nunca tive muitas dúvidas de que era atraído por gente, em geral :)

@vectress Ah, e tem uns anos, especialmente desde que me mudei pra cá mas mesmo um pouco antes, que eu saí do armário pra quase todo mundo, por uma questão quase política xD

@vectress foi um processo complicado, por causa da bifobia e pela minha demissexualidade. eu sempre vi meninas mais como amigas e quando comecei a sentir atração me invalidava pensando que não era nada demais. o discurso de que só se pode ser bi se você gosta "igualmente dos dois" ou já teve experiência sexual e romântica igualmente com os dois também me deixava insegura. foi na pandemia que comecei a refletir mais sobre isso e seguir pessoas bis pra ler sobre o assunto. agora eu me assumi, mas só pra amigos próximos. meus pais são muito preconceituosos e já namoro (meu namorado é pan haha) então achei que não tem necessidade me assumir no momento. talvez quando eu sair de casa...

@vectress eu sempre soube que era bissexual, não tive dificuldade em entender ou aceitar. Eu gosto de homens e mulheres. No entanto, todo mundo tem dificuldade em aceitar que eu não sou lésbica, por estar em um relacionamento monogâmico de longa data com uma mulher. Ter que lidar com essa invisibilidade bi é o que considero mais difícil e o único momento em que sinto que preciso "me provar" de alguma forma.

@vectress quando me assumi pra minha mãe, eu só disse que estava namorando uma mulher. Às vezes, penso se teria que me assumir de novo se começasse a namorar um homem porque ela pode não entender bem (?) :blobfacepalm:

Enfim, enquanto bissexual sempre parece que a gente tem que se justificar.

@vectress sempre me senti bi, sempre fez muito sentido, mas quando era mais nova eu acho que confundia muito um crush com amizade, principalmente com meninas. Me assumi oficialmente pra mim e pro mundo em 2012, quando precisei preencher um papel que perguntava sobre isso hahaha. Nesse contexto contei pro meu namorado da época. Desde então sempre comento com quem me relaciono. Nunca senti que precisasse me validar, mas sinto que algumas pessoas esperam isso de mim.

@vectress a maior parte das pessoas não me vê como bi. Quando estava com uma mulher, meio que me encaixavam como lésbica. Agora, que me casei como um homem, é como se eu fosse hétero e pronto. As pessoas é que me colocam sempre de um lado ou do outro. Isso me incomoda um pouco.
Por conta disso tudo, e por estar casada com um homem, sinto que sou invisível e desimportante para a comunidade LGBTQIA.

@lules É esse tipo de coisa que mais vejo em amigos e amigas bi: a necessidade de outras pessoas te encaixarem em um lado ou outro, ninguém consegue entender nem aceitar que dá pra gostar dos dois lados. E acho também que a comunidade LGBTQIA não sabe lidar com essa dualidade.

O importante é o que a gente pensa e quem nos apoia, quem não aceita nem merecia a nossa atenção (mas a gente acaba sendo afetada por isso)

@vectress eu nunca estive em um relacionamento, mas desde a minha adolescência tenho consciência de que também sinto atração por garotas. Houve muita resistência da minha parte em me aceitar e poucas pessoas que conheço sabem que sou bi. A dificuldade no meu caso é de contar pra minha família.

@vectress eu comecei à namorar um garoto aos 13, ele tinha 16. Problemático, mas ignora. Terminamos e um belo dia ele resolveu me aprender a cunhada dele, pra sairmos juntos ainda.
Eu não tive nenhum tipo de confusão. Foi tão natural. Apenas fiquei com ela e comecei à entrar nesse mundo. Por mais que eu recusa-se o mundo masculino, eu sabia que não era lésbica. Fui introduzida ao feminismo logo depois por amigas lgbtq e entendi muito mais sobre mim e a comunidade, me deu certeza de que era bi.

@vectress único problema mesmo,foi ao entrar em relacionamentos e sofre bifobia, sempre por parte de lésbicas. Sem contar o racismo. Engraçado, nunca sofri preconceito com parceiros homens. À não ser os que me sexualizavam, mas não tinha qualquer tipo de relação romântica.

@vectress
Quando eu era pré-adolescente, acreditava que todo mundo se sentia igual eu por dentro. Foi um choque descobrir o conceito de bissexual.

Quase ninguém que conheço sabe que sou bi, mas isso não me incomoda. Nunca senti a necessidade de assumir ser bi, não costumo explicar coisas sobre mim. Simplesmente me comporto do jeito que me sinto bem

Entre para participar dessa conversa
Mastodon Brasil

O mastodon.com.br é uma instância voltada para falantes de português brasileiro. Com a intenção de ser um espaço acolhedor e menos tóxico, tentamos ser uma instância que abriga pessoas de todas nacionalidades, etnias, formatos de corpos, gêneros, de identidades e orientações sexuais diversas, feministas, neurodivergentes, independente de religião, raça e orientação política.